Ciência,
Por: 7 de agosto de 2014

Lago Natron transforma animais em “pedra” na Tanzânia

O Lago Natron, na Tanzânia, é um dos locais mais serenos da África. Mas sua água possui uma composição química rara que “petrifica” os animais que nela entram. O inglês Nick Brandt produziu fotos das estátuas salinas e as publicou em um livro.

Na publicação intitulada “Across the Ravaged Land” (Por Toda a Terra Devastada), o fotógrafo, especialista no continente africano, escreve: “Eu inesperadamente encontrei as criaturas – todo tipo de pássaros e morcegos – ao longo da costa do Lago Natron, no norte da Tanzânia. Ninguém sabe ao certo como eles morrem, mas parece que o lago reflete bastante a luz e isso os confunde. Assim como pássaros que colidem contra janelas de vidro, esses caíram dentro do lago”.

De acordo com informações da revista Discovery News, o segredo do lago Natron tem explicação. Suas águas possuem um pH extremamente alcalino, que fica entre 9 e 10,5, sendo tão cáusticas que acabam “petrificando” alguns animais não adaptados a elas. A temperatura da água pode passar dos 40ºC. Sua alcalinidade vem do carbonato de sódio e outros minerais, que correm para o lago a partir das colinas circundantes.

Esses depósitos de carbonato de sódio – que já foram usados em processos de mumificação egípcios – também atuam como um tipo de conservante para as vítimas do lago, que acabam se tornando estátuas salinas.

A composição química do Natron também trouxe problemas para Nick. “A água possui um teor tão extremamente alto de sódio e sal, que consumia a tinta das minhas caixas de filme Kodak em poucos segundos”, conta ele, que acrescenta: “Eu tirei essas criaturas de onde as encontrei no litoral e, em seguida, coloquei-as em posições ‘vivas’, por assim dizer, antes de fotografá-las”.

Nick Brandt
« 1 de 7 »

 

Fonte: Livescience 

Compartilhe:

O Autor

Arthur

Arthur

Discípulo de Java, sonysta, caixista, nintendista, pcsista e viciado em tecnologia.