Ciência,
Por: 31 de julho de 2014

Estudos sugerem que os primeiros dinossauros tinham penas

Pesquisadores concordam que as aves são dinossauros, mas quando é que os dinossauros começaram a se tornar pássaros? Novas escavações na Sibéria revelam a presença de penas nas raízes mais profundas na árvore evolutiva dos dinossauros; de fato, eles podem ter tido penas desde o início de sua existência cerca de 240 milhões de anos atrás.

O registro fóssil deixa claro que as aves foram os únicos dinossauros que sobreviveram a uma extinção em massa cerca de 66 milhões de anos atrás, provavelmente causada por um gigantesco asteroide que atingiu a Terra. Mas a última década ou duas de pesquisa, que é marcada pela descoberta de milhares de espécimes de aves precoces e dinossauros voadores, também mostra que as penas eram um inovação evolutiva, mesmo que elas provavelmente não surgiram por razões relacionadas ao vôo.

A melhor evidência para penas foi encontrada em um grupo de dinossauros carnívoros que remonta cerca de 150 milhões de anos atrás. Os principais exemplos foram os Psitacossauros e os Tianyulong, ambos encontrados na Ásia e relatados em 2009.

Os pesquisadores acreditam cada vez mais que as penas evoluíram em dinossauros antecedentes da separação evolutiva entre os chamados Saurísquios (espécies que se alimentam de carne) e os Ornitísquios (espécies que se alimentam de plantas) mais de 200 milhões de anos atrás. (Apesar do seu nome confuso, os Ornitísquios não estão relacionados com as aves, que são Saurísquios).

 

(Na esquerda os Ornitísquios e na direita os Saurísquios)

Hipsauris2

Hipor2

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2010, uma equipe liderada pela geóloga Sofia Sinitsa do Instituto de Recursos Naturais, Ecologia e criologia na cidade siberiana de Chita, na Rússia, descobriu alguns fósseis nas proximidades do vale Kulinda. No início, os paleontólogos russos não ficaram impressionados, porque as amostras foram fragmentadas e mal preservadas. Porém, Sinitsa encontrou mais fósseis em 2011 e 2012, e contatou Godefroit e outros pesquisadores cujo trabalho nessa área é bem conhecido.

“Nós estávamos completamente chocados com suas descobertas”, diz Godefroit, porque os novos espécimes tinham o tipo de estruturas com multifilamentos complexos típicos de dinossauros com penas.

A criatura, chamada Kulindadromeus Zabaikalicus, tinha cerca de um metro de comprimento, focinho curto, patas traseiras longas, braços curtos e cinco dedos fortes. Os seus dentes mostram indícios claros de que mastigava plantas.

Segundo o professor Mike Benton, da Universidade de Bristol, a “pesquisa não significa que todos os dinossauros tivessem penas, especialmente os adulto. Alguns tiveram penas enquanto ainda eram pequenos e mantiveram-nas ao longo das suas vidas. Outros podem tê-las perdido quando cresceram e se tornaram grandes demais para precisar delas”.

No entanto, Paul Barrett, do Museu de História Natural, em Londres, tem dúvidas. Conforme explicou à BBC, “a maior parte das penas tem uma estrutura ramificada”. “Em vez disso, isto (o fóssil descoberto) parece surgir de uma placa central. Nenhum pássaro tem essa estrutura em qualquer parte da sua plumagem e nenhum dos modelos de desenvolvimento que os biólogos usam para entender a evolução das penas inclui um estágio que tem qualquer coisa como esse tipo de anatomia ”

Essa pesquisa promete importantes estudos sobre os estágios de desenvolvimento e de como os dinossauros cresceram.

 

Fontes: DNT Sciencemag

 

Compartilhe:

O Autor

Arthur

Arthur

Discípulo de Java, sonysta, caixista, nintendista, pcsista e viciado em tecnologia.